domingo, 9 de novembro de 2008

O que é a Legião de Maria?

Definição

Uma Associação formada por leigos. Tem como fim a glória de Deus, pela santidade de seus membros, através de oração e por um trabalho de apostolado em favor do próximo.


O sistema Legionário hoje espalhado por todo o mundo, tem se mostrado eficaz para ajudar o Católico a praticar a sua fé.

A reunião semanal é o coração donde jorra para as veias e artérias o sangue vivificante, fonte de luz e de energia.

Para o legionário, a reunião é o lugar em que a Mãe Santíssima está à sua espera, e onde amigos verdadeiros e fiéis agrupam-se à sua volta; um lugar para descansar e renovar as forças, após o fiel cumprimento da tarefa que lhe foi confiada. Na reunião da Legião, um lugar onde o amor sincero consegue sobreviver às dificuldades, o ambiente de oração e amor a Deus e ao próximo é pleno de apoio e estímulo para combater o desânimo, as incompreensões, a ingratidão, o medo do ridículo, o cansaço, a monotonia e, por vezes, o aparente insucesso. Entre os membros da Legião, a reunião é um lugar em que a opinião alheia é ouvida e respeitada com caridade.

Na reunião se aprende a rezar, a se basear não nos próprios esforços e atividades, mas na graça divina e no apoio do irmão, que é canal de amor e graça.



O Espírito da Legião


O espírito da Legião é o próprio espírito de Maria, de quem os legionários se esforçarão, de modo particular, por adquirir a profunda humildade, a obediência perfeita, a doçura angélica, a aplicação contínua à oração, a mortificação universal, a pureza perfeita, a paciência heróica, a sabedoria celeste, o amor corajoso e sacricado a Deus e, acima de tudo, a sua fé, virtude que só ela praticou no mais alto grau, jamais igualado. Inspirada nesta fé e neste amor de Maria, a Legião lança-se a toda a tarefa, seja ela qual for, " sem alegar impossibilidades, porque julga que tudo lhe é possível e permitido" (Imitação de Cristo, L. III: 5).




Nosso Fundador


Frank Duff nasceu em Dublim, na Irlanda, a 7 de junho de 1889. Entrou para o Funcionalismo Civil aos 18 anos. Aos 24, alistou-se na Sociedade de

S. Vicente de Paulo, inde foi levado a um mais profundo compromisso com a sua Fé Católica e adquiriu, ao mesmo tempo, uma grande sensibilidade às necessidades dos pobres e desfavorecidos.

Juntamente com

um grupo de senhoras católicas e o Padre Michael Toher, da Arquidiocese de Dublim, fundou o primeiro Praesidium (unidade orgânica da Legião) da Legião de Maria, a 7 de Setembro de 1921. A partir desta data até a morte, a 7 de Novembro de 1980, orientou a

extensão mundial da Legião, com heróica dedicação.

Assistiu ao Concílio Vaticano II, como observador leigo.


Os seus ímpetos de profunda compreensão do papel da Santíssima Virgem no plano da Redenção, bem como do papel dos fiéis leigos na missão da Igreja, refle

tem-se no manual, quase inteiramente, obra de suas mãos.


Tessera


Será entregue a todos os legionários Ativos e auxiliares uma folhinha chamada Tessera, que contém

as orações da Legião e reproduz o respectivo quadro.

Entre os romanos, a palavra Tessera designava a ficha ou senha que os amigos ent

regavam uns aos outros, como sinal de iden

tificação entre eles e os seus descendentes. Como expressão militar, significava a tabuazinha que circulava na Legião Romana com a senha do dia.

A Legião de Maria aplica a palavra Tessera à folhinha que contém as suas orações e o seu quadro, pois reúne estas propriedades:


a) Circula entre todos os

legionários;

b) Exprime a verdadei

ra senha da Legião: - as orações;

c) É o símbolo de unidade e fraternidade entre os legionários onde quer que se encontrem.


Por acaso, esta mesma idéia de universidade aplica-se a uma dúzia de termos latinos usados para designar certos elementos característicos do sistema. Facilitam de tal modo a intercomunicação que se tornam indispensáveis. A objeção de que constituem elementos estrangeiros na Legião é inaceitável, pois enraizaram-se de tal maneira que presentem

ente são palavras legionárias. Seria uma grande injustiça p

ara com a Legião privá-la de uma marca tão útil e característica.



Vexillum Legionis

O "Vexillum Legionis" é uma adaptação do estandarte da Legião Romana. A águia que fica em cima deste último foi substituído pela pomba - símbo

lo do Espírito Santo. Por baixo desta, exibe-se com orgulho a l

egenda: "Legio Mariae" (Legião de Maria). Entre esta e a haste do Vexillum (e unida à primeirapor uma rosa e um lírio) há uma moldura oval com a imagem da Imaculada Conceição, copiada da Medalha Milagrosa. A haste firma-se num globo que, nos modelos de mesa, assenta numa base q

uadrada. O

conjunto exprime a idéia da conquista do mundo pelo Espírito Santo, atuando por Maria e seus filhos.


"Que belo e sugestivo é o estandarte da Legião de Maria" (Pio XI).





Padroeiros da Legião



São José


Nas orações da Legião, o nome de S. José vem logo depois das i nvocações aos Corações de Jesus e Maria, pois que também no Céu ocupa, junto d'Eles, o primeiro lug ar.


Chefe da Sagrada Família, desempenhou, junto de Jesus e de Maria, funções especiais de importância fund amental. As mesmas funções, sem tirar nem pôr, continua ele, o maior dos Santos, a desempenhá-las juntos do Corpo Místico de Jesus e da Mãe deste Corpo. Au xilia a existência e a atividade da Igre ja e, por consequência, da Legião. Os seus cuidados são constantes, vitais e caract erizados por uma intimidade familiar. Depois de Maria, não há santo mais influente e, como tal, deve ser estimado pelos legionários. Para o seu amor se mostrar poderoso em cada um de nós, é necessário que o nsso procedimento para com ele reflita a compreensão do inteiro afeto que nos consagra. Jesus e Maria, agradecidos a José pelos seus carinhos e trabalhos, tra ziam-no s empre no coração. Procedam do mesmo modo os legionários.

A solenidade de S. José, esposo da Bem aventurada Virgem Maria, celebra-se a 19 de março; a memória de S. José, Trabalhador, a 1º de maio.


S. João Evangelista


Citado no Evangelho como o "Discípulo a quem Jesus amava", S. João representa para nós, modelo de devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Fi

el até o fim, a este Coração se conservou unido até que O viu sem vida e varado pela lança. Manifestou-se em seguida como modelo de devoção ao Imaculado Coração de Maria. Puro como um anjo, oucupou o lugar que foi de Jesus, e continuou a prestar a Maria o amor de filho, até o momento em que Deus

A

chamou.

Mas a terceira palavra, pronunciada

por Jesus Cristo no alto da cruz, continua mais que uma preocupação filial tomada para com Sua

Mãe Santíssima. Na pessoa de S. João, Nosso Senhor indicava o gênero humano mas sobretudo aqueles que pela fé se uniram a Ele em todos os tempos. Assim, Maria foi proclamada Mãe dos homens, - de numerosíssimos irmãos de que Cristo é o primogênito. S. João, o representante de todos os novos filhos, foi o prim

eiro a tomar posse da herança de filho adotivo de

Maria, - modelo de todos os que viriam depois e um santo, a quem a Legião deve a mais terna devoção.

Amou a Igreja e, nela, cada uma das almas, e ao seu serviço gastou todas as forças. Foi apóstolo, evangelista e teve o mérito de mártir.



São Luís Maria de Montfort


"Se respeitarmos as decisões de não admitir padroeiros particulares ou

locais, a inclusão do nome de S. Luís Maria de Montfort parece ser, à primeira vista, discutível. Podemos todav

ia afirmar com segurança que nenum santo desempenhou papel mais importante do que este no progresso da Legião. O manual está cheio do seu espírito. As orações são um eco das suas pa

lavras. É realmente o tutor da Legião de Maria, quase uma obrigação moral" (Decisão da Legião que coloca o nome de S. Luís Maria de Montfort na lista das suas invocações).

Foi canonizado a 20 de julho de 1947. Sua festa celebra-se a 28 de abril.




São Miguel Arcanjo

"Apesar de príncipe da corte celeste, S. Miguel é

o mais zeloso em honrar e fazer honrar Maria, sempre à espera das suas ordens para ter o especial privilégio de voar em serviço de algum dos seus servos" (S. Agostinho).

S. Miguel foi sempre o patrono do povo escolhido, da Antiga e da Nova Lei. É o leal defensor da Igreja, mas não deixou a guarda dos judeus pelo fato de eles se terem afastado de Cristo. Antes intensificou esta proteção, mesmo porque eles mais precisam dela, e também porque são ligados pelo sangue a Jesus, Maria e José. A L

egião milita sob a proteção de S. Miguel.

Com a suainspiração, deve trabalhar sacrificadamente pela recuperação desse povo, com o qual o Senhor fez uma aliança de amor sem fim.

A festa do "príncipe do Exército do Senhor" (Js 5, 14) celebra-se a 29 de setembro.




São Gabriel Arcanjo


Em algumas liturgias, S. Gabriel e S. Miguel são saudados juntamente como campeões e príncipes, chefes do exército celeste, capitães dos anjos, servos da divina glória, guardas e guias das humanas criatu

ras.

S. Gabriel é o Anjo da Anunciação. Foi ele que transmitiu a Maria as saudações da Santíssima Trindade; expôs pela primeira vez ao homem , o mistério desta Trindade Majestosa; anunciou a Encarnação; declarou a Conceição Imaculada de Maria; pronunciou as primeiras palavras da Ave Maria.

Referimo-nos acima ao interesse de S. Miguel pelos judeus. Talvez se possa dize

r a mesma coisa de S. Gabriel com relação aos Maometanos. Estes acreditam que foi ele quem lhes comunicou-lhes a religião que praticam. Tal pretensão, embora sem fundamento, representa uma atenção para com o Arcanjo, atenção que ele procurará pagar de forma conveniente, esclarecendo-os a respeito da revelação cristã de que era o guarda. Mas esta transfo

rmação não a pode conseguir por ele próprio. A colaboração humana tem de desempenhar sempre a sua parte.

Jesus e Maria ocupamno Corão (o livro sagrado da religião dos mulçumanos), um lugar tão importante, quase como nos Evangelhos, mas sem qualquer função. Este santo par espera no Islã que alguém o ajude a explicar-se e a afirmar-se. Provado está que a Legião possui um dom especial neste sentido e que os seus membros são recebidos com consideração pelos mulçumanos. Que rico material para tal esclarecimento existe no Alcorão!

A festa de S. Miguel, S. Gabriel e S. Rafael celebra-se a 29 de setembro.



Milícias do Céu, Legião dos Anjos de Maria

Regina Angelorum! Rainha dos Anjos! Que encanto, que alegria antecipada do céu pensar em Maria, nossa Mãe, acompanhada incenssantemente por Legiões de Anjos!" (João XXIII)

"

Maria é a Generalíssima dos exércitos de Deus. Os Anjos formam as mais gloriosas tropas daquela que é terrível como um exército em ordem de batalha!" (Boudon: Os Anjos)...

A aliança entre a Legião e os Anjos tem diferentes aspectos. Cada legionário, seja ele Ativo ou Auxiliar, tem um Anjo da Guarda que combate a seu lado, golpe por golpe. A batalha tem maior significado para o Anjo, em certo sentido, do que para o legionário: o Anjo vê claramente o valor do que está em jogo - a glória de Deus e o valor de uma alma imortal. Por isso, o interesse do Anjo é mais intenso e o seu auxílio consatante. Mas todos os outros Anjos estão igualmente interessados nesta guerra. Todos aqueles a favor de quem a Legião trabalha, por exemplo, tem os Anjos da guarda, prestando o seu auxílio ao lado dos legionários.






Fonte: Manual da Legião

de Maria



Sites Legionários:


www.legiaodemaria.org.br


www.legion-of-mary.ie

2 comentários:

Olhar disse...

Nossa, que interessante um blog que informe sobre Deus e a religião, é sempre importante e cada vez mais louvável usar esse espaço democrático e aberto que são os blogs para transmitir mensagens importantes para os demais. Parabéns pela iniciativa.
abcs

Lisoete disse...

SALVE MARIA
LINDO ESSE BLOG AMEI, VC E MESMO UMA PESSOA INLUMINADA, QUE DEUS TE ABENÇOE, E QUE MARIA NOSSA MÃEZINHA INTERSEDA P/ TI.
SALVE MARIA.

Arquivos